18.11.18

trabalhando o contentamento

A superexposição nas redes sociais é algo que muito me intriga. Eu deveria ser bem resolvida com esse assunto, achar a autoexposição algo muito natural, afinal, sou blogueira desde 2008!
E lá se vão 10 anos. Fiz praticamente um post por ano (hahahahaha!!!), então não me considero tão blogueira assim. Estou na categoria "blogueira esporádica" e não compreendo como ainda tenho leitoras, sendo eu constantemente cobrada por posts semanais. Por incrível que pareça, também não entendo o porquê de ainda ter retorno financeiro com o blog, o que não é algo relevante como as leitoras são para mim, mas merece aqui um registro.

Eu concluo que as blogueiras bem ativas no Brasil, especialmente essas que fizeram dos blogues (e demais redes sociais) um diário de compras e lamentações de todo tipo, estão mesmo faturando alto. Bastam uns 15 minutos no stories do Instagram para eu ficar perplexa. Elas abrem caixas e mais caixas, agradecem todas as empresas com bastante entusiasmo, num ritmo tão frenético que é difícil acompanhar. Ou compartilham a luta diária como simples mulheres, do amanhecer ao pôr do sol, como um diário adolescente dos anos 90.

Nesse ano de 2018, o que mais busquei foi o contentamento, com todas as coisas. E não estou falando de conformismo, viu? Se eu acho que algo não está bom, apenas trabalho para mudar aquela situação quando é possível mudá-la.

Buscar o contentamento certamente não tem ligação com os últimos gritos da moda, muito menos com técnicas novas de educar uma criança. A alegria independe das circunstâncias, do momento que temos que passar. Acima de qualquer coisa, é uma decisão. Como responder sim ou não. O pragmatismo exigido para viver o contentamento genuíno da vida acaba me afastando um pouco de toda essa loucura que eu considero ser as redes sociais de todo tipo. No momento que vi que tudo isso pode se tornar uma pedra de tropeço, tanto no aspecto do tempo utilizado, como na questão  do conteúdo, resolvi selecionar melhor minhas "leituras digitais" diárias. O conteúdo absorvido no mundo virtual SEMPRE tem impacto na vida real.

Longe de mim querer parecer colonizada ou qualquer outro adjetivo depreciativo que a nossa língua disponibiliza... No entanto, tenho que falar: as blogueiras de maternidade dos Estados Unidos são muito melhores que nós. 

Os valores morais delas são diferentes. Enquanto elas repetem o mantra "if God sends the baby; He will surely send the clothes", as daqui estão preocupadas com métodos contraceptivos e, enquanto isso, gastam fortunas no novo destino da moda, que para o verão 2019 se chama Jericoacoara. Entre Paris e Jericoacara, mostram suas crianças impecáveis em pijaminhas de algodão pima, cuidadas por babás uniformizadas com roupas brancas. 

Não quero alongar ainda mais o post, mas deixo aqui uma preciosa inspiração para você arrumar a casa no fim do ano, fazendo aquela limpeza linda que todo lar merece e que nos traz muito contentamento! 

A blogueira Lisa é mãe de 5 crianças e mostra todo o cuidado com a casa e com os filhos no canal do YouTube FarmHouse on Boone. O marido dela recentemente passou a trabalhar em casa, como editor dos vídeos produzidos pela Lisa. Eles vivem disso, de blogar. Ela traduz o espírito real do "God sends the clothes", vivendo um dia de cada vez, com nítida alegria.

Se você acha que o trabalho como mãe dobra com mais de uma criança, ela desmistifica isso aqui.

Em tempo: você pode colocar tradução automática no YouTube através das legendas. Parece óbvio para alguns, mas muita gente não assiste aos bons conteúdos em Inglês porque não entende nada e não conhece esse recurso.

Como inspiração, veja o único banheiro da casa da Lisa, utilizado diariamente por 7 pessoas, recentemente reformado: 


Boa semana, meninas!

25.4.18

mesa posta

Que dia lindo para se inspirar nessa mesa da @ourfoundhome!

Eu ainda estou tentando entender o porquê da moda #mesaposta brasileira. Existe uma disputa insana para postar nas redes sociais a mesa mais colorida e cheia de #sousplat que o dinheiro puder comprar! 

É o prato coordenado com o guardanapo, com o porta-guardanapo, com o copo... Até o infinito combinando tudo! De preferência com estampa de bambu, limão siciliano ou com cores variadas bem fortes. 

Onde foi parar a tradição familiar de herdar as louças? Ou a tradição é só ter a louça herdada na coleção de itens multicoloridos de um louceiro lotado? Quão doce é a lembrança de ter tido sempre a mesma porcelana nas festas da minha família, onde até o lascado do prato tinha sentido. 

Realmente tento entender o motivo de desprezarmos mesas como essa da foto! São itens usados, garimpados, herdados e únicos. 

Por que tudo tem que ser novo, caro e sem alma? 

7.4.18

"brigadeiro" de lavanda


É fato. Chegamos ao fundo do poço. 
E nele encontrei um leite condensado misturado com aroma de banheiro. Lavanda.
As confeiteiras buscam alucinadamente por uma tal lavanda seca comestível para atender a demanda.
Se é comestível ou não, nem entro no mérito.
Mas pense comigo: L A V A N D A!!!!!!!!!!!!!!!
É o cúmulo da gourmetização, gente!
É loucura. Pura.
Uma falta de respeito total com o brigadeiro perfeito original, insubstituível. 
Aquele feito com Nescau, chocolate do padre ou cacau em pó.
Esse bagulho roxo é o novo bolo de fruta das festinhas nos anos 90: você espera um de chocolate, mas só vê o monstro de chantilly ornamentado com pêssegos e figos em calda.
E se a pobre criança aniversariante ou convidada se atrever a comer o fino quitute com tema de sais de banho?
É choro.
E que ninguém se atreva a chamar essa alfazema açucarada de brigadeiro.
Certamente o choro aumentará.
Aliás, fica o aviso: eu não provarei doce com aroma de vaso sanitário limpo.
Nem sob tortura.

21.8.17

a maternidade na prateleira do fornecedor

Eu já perdi as contas de quantas vezes me pediram para que eu escrevesse sobre os "chás de revelação" que estão na moda no Brasil. Acho essa espetacularização da revelação do sexo do bebê tão inexplicável e surpreendente que preciso tomar coragem para falar qualquer coisa sobre o tema.

É menino ou é menina? Não dá mais para responder de bate-pronto. Temos que aguardar o convite para uma festa com decoração azul e rosa. Sim, uma festa com tudo o que o dinheiro puder comprar.

Na realidade, esse tipo de comemoração (quase sempre num contexto bem cafona!) faz parte de todo um pacote de maternidade para ser fotografado por muitos ângulos.

Segue a lista de alguns compromissos  "estamos grávidos e com a agenda lotada", versão 2017:

1. Chá Revelação;
2. Contratação de um arquiteto para fazer a decoração do quarto;
3. Enxoval em Miami com personal shopper;
4. Sessão fotográfica da grávida no pasto, no estúdio e debaixo d'água;
5. Chá de Fralda;
6. Contratação personal organizer para o quarto do bebê;
7. Decoração do quarto da maternidade (cenário para lembrancinhas e quitutes);
8. Contratação de doula e de uma profissional especializada em amamentação;
9. Filmagem e fotografia para o parto;
10. Sessão fotográfica Newborn (estúdio e lifestyle);
11. Chá de Apresentação;
12. Festa de Batizado;
13. Sessão fotográfica de acompanhamento do primeiro ano de vida (visitas ao estúdio a cada 2 meses);
14. Mesversário (11 festas!);
15. Festa para comemorar o primeiro aniversário do bebê.

Obviamente só um casal que não tem medo de empobrecer e/ou enlouquecer consegue seguir toda a lista acima. Eu admiro a capacidade de quem administra tudo isso sem perder a paciência! Quem não consegue cuidar de todos os detalhes e compromissos do início da maternidade pode contar com mais um profissional do ramo: o baby planner, hahahahaha. É sério, gente!

Após o primeiro aniversário, a criatividade brasileira para criar novos eventos permanece. A mais nova invenção: Chá de Desfralde. Quando a criança está saindo das fraldas, os convidados levam calcinhas ou cuecas de presente. Privacidade nenhuma até no desfralde. Inacreditável!

Nem tudo listado acima é dispensável. Por exemplo, o item 8 é questão de saúde e bem-estar; e o item 12 é uma escolha religiosa. Entretanto, analisando friamente cada item da lista, não entendo como perdemos totalmente o controle.

Talvez a resposta esteja no anseio de criarmos e registrarmos momentos únicos extras, além dos que a maternidade naturalmente nos traz. Acabamos com o silêncio, a tranquilidade e o espontâneo porque  tudo foi preenchido por compromissos inexplicavelmente sedutores e planejados.

Eu sei que existe todo um mercado preparado e qualificado por trás de cada item desses, no entanto, será que ninguém parou para pensar no gasto total de tempo e dinheiro para planejar tudo isso e depois viver cada uma das escolhas? Afinal, o mercado está preparadíssimo para nos seduzir: da dobra perfeita do body na gaveta ao bolo enorme de pasta americana. Tudo é pensado centímetro a centímetro. Nada escapa.

Todo mundo gosta de ter a casa preparada para receber bem o bebê ainda tão pequeno e frágil! Só é preciso ter foco na prateleira da maternidade porque na lista de dez mil coisas, as necessidades reais são desfocadas. Seja forte e resista. O seu coração determina a sua vida!

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida." Provérbios 4:23

19.6.17

Escondendo uma pequena televisão no baú!



Olha que incrível esta ideia! Aqui no sul costumamos ter alguns baús em casa porque ainda não inventaram lugar melhor para armazenar os gordos edredons, mantas e cobertas. 

É um projeto que pode ser realizado até no quarto das crianças. Pensando melhor, dá até para colocar um suporte para o iPad... 

Televisão ainda é um desafio para quem gosta de uma casa bem decorada e o baú realmente esconde tudo, inclusive os abomináveis fios. 

Se você ainda não conhece a casa abaixo, saiba que é uma das mais charmosas propriedades que estão disponibilizadas para aluguel de temporada em Paraty.

Sou absolutamente apaixonada por ela e é a segunda vez que publico porque ainda não tinha visto estes ângulos novos.

A loja Pense Dentro da Caixa é o melhor local que conheço para comprar baús. São de madeira maciça por um preço mínimo. Mesmo. E eles não estão me pagando para eu dizer isso.

Mais imagens da bela casa:

Suspiros!

17.6.17

a caneca de cobre da moda por um precinho razoável*

Eu pesquisei sobre itens de cobre martelado (amo!) para decorar a cozinha daqui de casa e encontrei estas canecas para o drinque Moscow Mule no Aliexpress.


Eu nunca tinha visto este modelo e achei que combinam demais com chocolate quente!

Completamente sugestionada, comecei a notar que as tais canecas aparecem em várias cenas de seriados do Netflix. Eu é que não tinha percebido a existência delas...

A mais barata que encontrei, e com boa avaliação, está neste link aqui.

Bom fim de semana, meninas! 

Com chocolate.

*Encontrei um exemplar no Brasil por absurdos R$170!

27.2.17

2017: um ano desafiador!

Eu estava sumida, mas nesses meses todos, reuni bastante conteúdo para postar no blog. Peço um pouquinho de compreensão, rsrsrsrs.

2016 foi um ano muito complicado na minha vida familiar. O Samuel (meu único filho, agora com 7 anos de idade) ingressou no primeiro ano do ensino fundamental e não foi nada fácil. Os anos de educação infantil estavam baseados no método da Maria Montessori e ocorreu um rompimento brutal. Foi muito complicado sair de um método que é individualizado (de verdade!) para uma apostila do Anglo. 

(O material do Anglo merece um post especial porque é uma salada inacreditável!)

Matricular uma criança numa instituição de ensino é uma forma de terceirizar a formação escolar, algo que eu não olhava por essa perspectiva. Freqüentar a melhor escola da cidade e sentar ao lado dele para fazer as tarefas em casa, não foi uma parceria eficiente. Os segredos da sala de aula se tornaram as raposinhas da vinha. A professora, seguindo a política escolar, não mostrou para nós os cadernos de sala durante todo o ano letivo! Só descobri o que estava acontecendo no fim do ano. Os cadernos são bagunçados, não seguem uma sequência lógica e fiquei horrorizada com o universo de desordem que a turma toda estava mergulhada.

Durante as entregas de boletim, somente os cadernos com tarefas de casa, apostilas e trabalhos de artes eram apresentados...

Talvez eu não tenha palavras para descrever o misto de sentimentos que tomaram conta de mim! Maldito homem que confia no homem. Nós confiamos na escola, quando deveríamos ter verificado cada letrinha escrita nos secretos cadernos de sala de aula. Falhamos.

Apesar do destino não planejado de 2016, passadas as férias, hoje o Samuel escreve, lê e está começando a usar metáforas mais complexas. Obrigada, Deus! A partir do momento que a educação formal se tornou deficitária, achei melhor tentar tomar as rédeas da situação e fazer a minha parte. Por exemplo, até mesmo durante as viagens de férias, qualquer placa no caminho era uma oportunidade para treinar a leitura. Ele está fascinado com a variedade de biomas no Brasil!

Férias no Ceará: foto feita em Flecheiras

Estou buscando em Deus uma forma de vencer rapidamente os traumas do ano que se foi. Dói demais escutar uma criança dizer que não gosta da escola, mas tenho certeza que ele tem o apoio necessário para superar a fase.

Já no começo de 2017, meu filho iniciou alguns cursos no Kumon. Agora só quer saber de Kumon e me pergunta o porquê da escola não ter o mesmo aproveitamento. "No Kumon eu aprendo tudo, na escola não aprendo nada!". Segue a luta...

O Limo Bag tem uma conta no Instagram (@limobag) e lá eu sigo um bom número de famílias que postam conteúdos inspiradores. Durante 2016, nesse ambiente bastante desafiador que eu estava vivendo, busquei me informar um pouco sobre a dinâmica do homeschooling na América. Foi aí que descobri muitas famílias americanas adeptas. No Instagram, tentei desbravar um pouquinho de um universo que nunca vivi. Sei que existem ótimos grupos no Facebook sobre o assunto, mas naquele aplicativo de fotos a coisa se torna mais leve para ser absorvida no final de um dia corrido.

Ainda que boa parte dessas famílias tenha uma postura de exposição familiar extrema - algo com nuances incompreensíveis para mim -, há muita coisa boa que não posso deixar de relatar. Fica para o próximo post.

Algum leitor se identificou com esse texto? Não deixe de comentar!

Com amor, 

Luana

19.8.16

Uma cabana na praia, duas bicicletas e falta de ar!

Informativo: Isto NÃO é um publipost.

Brasileiros que tanto viajam para Orlando, não costumam explorar as praias da Flórida que estão localizadas no Golfo do México. É uma pena porque são algumas das praias mais lindas que eu tive a oportunidade de conhecer, ressaltando que não sirvo muito como parâmetro, afinal, não conheço tantas praias assim. 

Independentemente das minhas experiências pessoais, Clearwater Beach e Siesta Key Beach (ambas localizadas no Golfo do México) são realmente consideradas as praias mais bonitas dos Estados Unidos. Gosto tanto dessa região que sou capaz de trocar todos os parques da Disney e da Universal por um único dia nessas areias, sem pestanejar. Não estou exagerando! Essas praias de águas mornas, com o mar do Caribe, são próximas de Orlando, ou seja, dá até para fazer um bate-volta num dia ensolarado.



Sabe quando você está navegando no Airbnb e sente uma falta de ar com o achado? Quando encontra um lugarzinho único, com a sua cara, na praia amada? Aconteceu.

Estou desmaiada com esta charmosa cabana cottage, super bem localizada, no coração de Siesta Key. Eu não tenho a menor vontade de entrar naquelas mansões enormes de Miami (algumas de gosto bem duvidoso), mas certamente seria bem diferente ao me deparar com algo tão singelo, azul e com toldo de lata:










Tudo impecavelmente decorado. A anfitriã pensou em cada milímetro da restauração/decoração do lugar, sendo extremamente criteriosa. O critério está bem exposto até no uso dos eletrodomésticos brancos, sem as aberrações de aço inox. Eu simplesmente enlouqueci com essas estantes nas janelas de canto! 

Tudo é bem pensado para proporcionar uma experiência incrível e sem preocupações. Ela fornece até bicicletas (AMEI!!!) e cadeiras de praia.

Nas avaliações do site de temporada, um único hóspede reclamou da baixa pressão da água nas torneiras e no chuveiro. Sinceramente, tomo banho até de canequinha nesse casa, com a maior alegria. E ainda tem a praia deslumbrante de brinde, aproximadamente 5 minutos caminhando da casa.

A locação dessa casa é disputadíssima no Airbnb. Demanda para o chuveiro fraquinho não falta.

9.8.16

Será que você não consegue mesmo fazer uma festa para o seu filho em casa?

Nathalie Bearden é uma brasileira que mora no Texas (EUA) e é mãe de 4 crianças lindas.

Ela educa todos os filhos no sistema de escola em casa (homeschooling). Ela não tem babá. Não tem diarista. Não tem uma mãe morando pertinho para dar uma olhadinha nas crianças. Não tem professora nem por meio período, mas faz as festas para os filhos em casa. 



Eu amo seguir a Nathalie no Instagram para entender a dinâmica de uma vida familiar independente e com muitas crianças.

Será que você não consegue mesmo fazer uma festa em casa para o seu filho? Espero que a vida da Nathalie possa lhe inspirar!

Instagram da Nathalie: @nathaliebearden
Loja da Nathalie (colchas sob encomenda): http://www.nathaliebearden.com

9.6.16

10 passos para fazer uma festa inesquecível para a sua cachorra "princesa"

Eu queria sair do tema princesa, mas está difícil, gente! A dura realidade não dá descanso. O último post é um choque de realidade porque mostra que as Princesas do Brasil (as de verdade, ok?) têm festas bem mais simples que muitas crianças plebeias dessa nação. Eu errei. Errei feio! Na verdade, a grande maioria da população do Brasil, incluindo as princesas de sangue azul, tem festa mais modesta que a realizada em Salvador para uma cadela. Você leu certinho. CA-DE-LA. Au, au.

Será que você consegue entender essa comemoração inacreditável? As cenas são fortes. Chocantes.

Vamos aprender como é que faz uma festa para uma cachorra? Aviso: contém ironia.

1. Você precisa acreditar que ela é gente
Se você não crê que a sua cachorra é realmente uma pessoa, fica difícil prosseguir para os passos seguintes. É necessário esquecer que um pacote de biscrok é suficiente para satisfazer sua cadelinha. Você tem que acreditar que ela saiu de dentro de você. Chame-a de filha e repita o mantra que diz que ela é melhor que muita gente, portanto merece a maior festa que o seu dinheiro pode pagar. Use verbos e sentimentos próprios para humanos: ela pensa, ela se emociona, ela curte, ela vibra...

2. Contrate uma decoradora especializada em aniversários infantis faraônicos
Você sabe muito bem que crianças pre-ci-sam de festa faraônica, e, como sua filhinha é gente, o natural é contratar a decoradora mais cara da cidade, daquelas que conseguem colocar 3.250 itens feitos com cola quente numa mesa de 4 metros. Não fica parecendo uma mesa com alimentos, mas isso todo mundo já tem em casa, não é mesmo? Seus convidados não querem uma mesa com um monte de comida fumegante, parecendo self-service. Sirva apenas doces feitos com bastante antecedência e finger food frio. Não economize na escolha da decoradora porque a sua cadelinha vai sentir que você é mesquinha! E cadelas espertas se vingam, heim? Ela não vai mais subir na sua cama e lhe acordar com uma lambida dentro do nariz.


3. Escolha o tema de princesa para uma princesa
Jamais faça uma festa com temas próprios para cachorros! Você não pode homenagear o Mc Donald's de cachorros (Pedigree) numa festa rica. Cachorro rico come Royal Canin e royal é o que? Realeza, meu bem! Olha como esses marqueteiros de cachorro entendem da coisa. Sugiro que você procure homenagear um filme da Disney porque nenhuma criança consegue ser feliz sem ter festa falsificada da Disney. Mande fazer uma lona com uma cena cinzenta do filme e não se preocupe porque a Disney fica sempre feliz com o propaganda gratuita! Ela não irá lhe cobrar direitos autorais porque seu evento será um lançamento de tendência na terra brasilis: festa pra cachorro é um filão mal explorado e muitos produtos poderão ser lançados por conta disso, incluindo ração com formato de Mickey e comedouros com estampa da Frozen. Vera Loyola fez festa do balacobaco para sua catiorra pequinês nos anos 90, mas ninguém se lembra disso. Aproveite a oportunidade porque nem todo mundo nasceu numa nação sem memória!



4. Elabore um convite espetaculoso
Sua lista tem que priorizar as amigas que têm filhos de 4 patas. Faça um convite com linguajar da realeza e acople uma linda coroa chinesa comprada na 25 de Março. Essa pequena coroinha plástica será usada preferencialmente pelos peludinhos, no entanto, caso a convidada ainda não tenha comprado um filho no canil famoso que você é madrinha, avise por telefone que a futura mamãe está autorizada a usar a preciosa coroa.

5. Não confie na sua decoradora
Decoradora nenhuma merece confiança. Elas estão na mesma categoria do gesseiro, do encanador, do calheiro, do pedreiro meia colher, do garçom e da estilista de cortinas! Você se lembra do dia que pediu para o encanador instalar um cano de água quente de cobre para a torneira da garagem e ele teve a pachorra de colocar um de plástico que acabou derretendo com a água quente? O peão recalcado não se conformou com a necessidade de lavar as patinhas da sua filha com água pelando em pleno calor de Salvador e resolveu se vingar! A decoradora do megaevento precisa exigir dos fornecedores o mesmo padrão de qualidade das festas que ela faz para crianças humanas. Eu aconselho que você vare noites no Instagram e procure tudo de mais caro e perfeito que essa nação tem para oferecer! Que tal encomendar biscoitos de Minas Gerais e transportá-los até Salvador? Os quitutes baianos certamente não são tão bons!


6. 22 é o número da sorte das princesas caninas
Foque nesse número. Filmes sem Lei Rouanet utilizam um número menor de fornecedores, mas quem se importa? O número da sorte precisa ser respeitado e a festa tem-que-ter essa quantidade de criativos para montar o espetáculo. Aumente o recalque dos cineastas, por favor.



7. Crie normas de conduta
Festa chique não combina com conversas insuportáveis. Dilma e Temer são palavras irritantes que precisam ser evitadas a todo custo durante o aniversário. Lembre-se: a festa da cadela é a pedra fundamental do fim da República! No dia seguinte, a monarquia estará ainda mais perto de governar novamente o país. Dom Bertrand - o seu rei - afirmou que "temos o rei do futebol, as rainhas da bateria... O povo daqui gosta de glamour e de exuberância". Você colabora com o rei ao afirmar que cachorras são princesas e por escolher comemorar o dia da sua com toda pompa! Ninguém espera que uma festa seja feita em homenagem a uma primeira-dama, não é mesmo?


8. Leve sua princesa para se arrumar num salão de beleza
Pet shop é coisa de cachorro pobre. Tenho certeza que um bom dinheiro pode proporcionar excelentes maquiadores e cabeleireiros de humanos para a sua amada princesa porque ela é melhor que muita gente!

9. Imprima os recibos de bondade
Vai por mim: o mundo não entende com tanta facilidade que um cachorro pode ser transformado em gente. Aparecerão críticos de todo tipo, afirmando que você poderia ter usado esses milhares de reais em causas nobres como abrigos de cachorro, crianças somalianas, etc... Esfregue seus recibos na cara dessas pessoas e prove que você ajuda muitos necessitados. Cale a boca dos invejosos com a sua bondade.


10. Curta muito esse dia glorioso
Depois de tantas reuniões, pesquisas no Pinterest, planilhas, transferências bancárias e cheques assinados; o dia finalmente chegou! Você não fez conta e certamente arrasará. Lembre-se de guardar uns bem-latidos para comer no dia seguinte porque certamente a embalagem italiana da iguaria estará no mesmo nível do sabor. Por favor, não esqueça de pedir para o fotógrafo registrar cada um dos cacarecos bordados que estão na mesa, afinal, tudo foi escolhido com muito amor e carinho e a rede social precisa aplaudir essa obra cinematográfica. Nina é princesa. Lidem com isso!








Mais fotos aqui.

3.6.16

Afinal, como são os aniversários das princesas brasileiras?

Infelizmente a Família Imperial Brasileira não tem o costume de divulgar fotos oficiais das crianças durante a comemoração dos aniversários. 

Eu imagino que sejam festas bem simples. Por que afirmo tal coisa?

Vejam as fotos dos bolos dos últimos matrimônios realizados na família.

Casamento da Amélia de Orleans e Bragança e Alexandre James Spearman. Imagens do blog Falando de Casamento:



Lindo, simples e singelo, com apenas dois andares. Fiquei encantada com a delicadeza do monograma.

No casamento dos nobres Maria Elisabeth de Orleans e Bragança e Pablo Trindade, o bolo foi um pouco maior, mas sem perder a simplicidade. Imagens retiradas do blog da Constance Zahn:


Recentemente, as redes sociais ficaram repletas de fotos do aniversário de 5 anos da filha do jogador Kaká. O bolo gigantesco (e de verdade!) saiu pronto de Goiânia e seguiu num automóvel refrigerado até São Paulo, assim como boa parte da festa.

As imagens são do Instagram da decoradora:


Não só o bolo, mas todo o evento é mais detalhado e caro que as recepções de casamento das princesas brasileiras! Não existem argumentos para defender o uso de um quitute de 6 andares numa festinha de criança.


Segundo alguns sites de notícia, tudo isso foi inspirado no mundo das princesas. Oi?

Verdadeiras princesas sabem que um chocolate vale bem mais que uma embalagem. Quem precisa de um invólucro descartável que tem mais elementos que os bolos de casamento da Família Imperial Brasileira? À beira de um abismo surreal,  a inversão de valores parece mesmo não ter limite:


Uma combinação cafona complexa: renda guipure, fita de cetim, pedra falsa plástica, dezenas de cristais, acrílico recortado com laser e 3 camadas de papel. Quase todos os elementos são importados da China.

Será que esse grande espetáculo artificial não distorce o significado da comemoração?

Eu ainda acredito que podemos seguir bons exemplos como a última festa de aniversário da pequena princesa Leonore da Suécia. 

Um conto de fadas da Disney não consegue ser mais belo que essa realidade:



Nossos filhos merecem viver momentos reais e singelos assim!

Bom fim de semana,

Luana