16.4.15

12 maneiras de economizar dinheiro na festinha do seu filho

Com crise ou sem crise financeira, esperto é quem opta por comemorar a vida sem gastar uma fortuna, conservando seus ideais morais. No nosso Brasil, temos praticado uma nova cultura consumista extremamente fútil e sem bom senso. Famílias de todas as situações socioeconômicas têm investido tubos e mais tubos nas festas familiares de todos os tipos. Realmente não é uma total surpresa que a indústria brasileira de festas infantis tenha sido a fornecedora de vários elementos presentes na mais bizarra e absurda comemoração de aniversário que temos conhecimento (clique aqui apenas se não tiver crianças por perto). A necessidade de inovar pode criar monstros.

Aqui vão algumas dicas bem simples para economizar e educar:

1. Tenha um orçamento anual muito bem definido
Coloque na sua cabeça que entrar numa loja de artigos para festa é um perigo orçamentário. Não comece comprando, mas sim descobrindo quanto sua família está disposta a gastar anualmente nas comemorações. Se você for absolutamente festeira, daquele tipo que decora até a varanda no Natal e na Páscoa, convém abrir uma poupança só para essa finalidade. Com o planejamento anual, muito provavelmente você descobrirá que tem bem menos dinheiro disponível do que imaginava. Não tem o menor sentido deixar o cônjuge sem comemoração de aniversário porque a família precisou pagar a parcela do bolo de pasta americana para uma criança que sequer sabe falar.

2. Desprograme a sua mente
Nada é mais eficiente que a higiene mental para conseguir educar seus filhos e seguir firme no controle. Tente zerar suas referências de consumo adquiridas em festas comerciais e em pesquisas na internet. Qualquer festa infantil que envolva 10 fornecedores diferentes, 5 brinquedos alugados, buffet infantil, decoração milimetricamente perfeita e atendente de porta que impede a abertura imediata do presente, é uma festa do comércio.

3. Reprograme a sua mente
A maior parte de nós tem uma boa referência de comemoração na infância. Nossos pais não faziam festinhas ultra decoradas e sempre temáticas, mas eram suficientes para todos nós. Você mudou ou o mundo tenta lhe convencer que as suas necessidades são outras? Se a pequena Estelle, futura rainha da Suécia, comemora seus aniversários de uma maneira super simples (clique aqui), porque você acredita que a sua necessidade de fazer algo extravagante é legítima? Lembre-se que a princesinha, mesmo tão pequena, tem todo o dinheiro do reino à disposição, no entanto, sua mãe não quer ser a irresponsável que aplica 35 mil balões inúteis numa decoração. Essa família é naturalmente exemplar, mostrando sempre os bons e insubstituíveis valores que tem. E você? Por que não se esforça para ser também um bom exemplo de simplicidade que tem os olhos fixos na eternidade, e não em satisfações absolutamente loucas de consumo?

4. Faça uma lista extremamente enxuta de convidados
Aniversário não é casamento. Aniversário não é casamento. Aniversário não é o casamento do seu filho. Repita esse mantra uma centena de vezes enquanto estiver elaborando a dolorida lista reduzida. Apelar para uma suposta tradição familiar que exige festas grandes significa abandonar o posto de guardiã do lar, permitindo que interferências indesejadas possam abalar até a sua saúde emocional. E se alguém reclamar que não foi convidado, apenas explique que a festa será pequena, simples e suficiente para as necessidades da criança. 

5. Determine os itens de consumo essenciais
Convites, bolo, vela, pratinhos, talheres, guardanapos, canudos, copos, frutas, salgados/pães, bebidas, doces, toalha de mesa, material para atividade artística com as crianças, lembrancinhas e o serviço de um ajudante. Pode entrar nessa lista, caso o orçamento permita, uma roupa nova para o aniversariante e um fotógrafo profissional.
Sem caráter essencial: bolo cinematográfico, forminhas especiais para os doces, brinquedos alugados, flores importadas, elementos personalizados, balões, comida gourmetizada ou qualquer outra coisa que a indústria das festas infantis disponibilize. Não tem o menor sentido deixar de contratar os serviços de um fotógrafo só para poder pagar a decoração caríssima da moda, muito menos aceitar dinheiro de familiares para poder fazer a festa suntuosa que eles esperam. O que os outros querem  impor como consumo extra dificilmente está de acordo com as reais necessidades da família.

6. Escolha uma locação que não seja comercial
Antes de pensar nas cores, sabores e formatos dos itens essenciais, opte por um local que tenha um significado emocional para a família, especialmente para a criança. A opção de menor custo é a escola, mas existem vários outros lugares óbvios como a sua residência, a casa de um amigo ou de algum familiar. Pode ser também um salão de festas de um prédio, a churrasqueira do clube ou locais públicos como praças e parques. Pense fora da caixa, por favor! Dá trabalho? Dá sim! Educar é super trabalhoso e se estiver sendo fácil é porque você está fazendo tudo errado. Escolher um buffet infantil não é educar porque exclui a participação da criança em toda a execução da festa. Tudo nessa vida demanda trabalho e é melhor que elas aprendam isso ainda bem pequenas.

7. Determine o cardápio
Você não tem como escolher o cardápio sem antes ter definido o local da festa, assim como não pode comprar absolutamente nada sem antes estipular o cardápio. Não invente moda, portanto ofereça o básico. Eu não preciso escrever aqui o que é básico porque você se lembra bem do que era servido nos seus aniversários, não é mesmo?

8. Faça as listas
Eu costumo fazer 3 listas: supermercado/feira, loja de artigos para festas/artesanato/papelaria e encomendas. Tenha em mente que é muito mais barato optar pelo material tradicional (old school): forminhas de papel plissado (eu tenho uma técnica infalível para soltar rapidamente aquelas forminhas!), saco branco ou pardo para pipoca, convites prontos para serem preenchidos à mão, garfinhos de madeira, animais de plástico para lembrancinhas, língua de sogra, confete, serpentina, lantejoulas, prendedor de roupa de madeira, fio de sisal, saquinhos de falso celofane, papel kraft, tinta guache (escrever "traje: roupa para brincar e pintar" no convite), massinha de modelar, quadro comum para giz branco, carimbos, balão gigante para colocar doces, cartolina, giz de cera, etc. Itens especiais como copinhos de papel e canudos retrôs normalmente custam bem menos nas lojas virtuais, mas note que escolhas muito sofisticadas significam mais trabalho e aumento de custo!

9. Sonde a sua casa e a alheia
Evite ao máximo locar itens porque é um gasto extra considerável, além de atrapalhar a importante característica intimista da festa. Reúna todos objetos que você já possui e que podem ornamentar o espaço da comemoração. Vale colcha de fuxico, porta-retrato, trabalhos escolares, desenhos, gravuras, brinquedos de madeira, plantas em vasos, louças suas e de familiares. É prudente também consultar se outras mães do seu convívio não possuem sobras de itens de festa para doação. Eu tenho uma caixa aqui com vários deles! Obviamente não dá para misturar Hello Kitty com Star Wars, mas itens sem personagem são totalmente reaproveitáveis.

10. Recrute vários convidados para os preparativos da véspera
Esse dia é tão especial que costuma ser tão bom quanto o dia da festa! ♥

11. Aceite e viva os momentos como de fato eles são!
O mau humor crônico da sua sogra. A torta salgada cortada em tamanhos diferentes. Os convidados que faltaram. O brigadeiro que pegou no fundo da panela. O sumiço estratégico daquela convidada que iria lhe ajudar, mas preferiu ir ao salão de beleza fazer as unhas.  A salada de frutas que pareceu sem açúcar para alguns convidados. A vela comum no bolo que substituiu a que foi quebrada. O aniversariante que não aproveitou nada porque estava febril.  Os docinhos que desapareceram da mesa num slow motion incrível antes do parabéns. O choro porque o presente é uma roupa. A criança que foi embora sem lembrancinha porque alguém levou mais de uma para casa...

12. Lembre-se do que move você
Não é a economia de dinheiro que nos move - essa é a vantagem menos importante! Afinal, por que não é de bom-tom realizar uma festa suntuosa para uma criança? A companhia dos queridos não é suficientemente importante para trazer o contentamento?

Para inspirar, deixo aqui esse gif da Estelle! A princesa fazendo exatamente o que se espera dela: fofurice!


Nota: curta a nova página do Limo Bag no Facebook para poder ser avisado sobre os posts novos. Amanhã será publicada uma festa ABSURDA de linda que está plenamente de acordo com tudo o que escrevi aqui!

A festa já foi publicada. Clique aqui!

8 comentários:

  1. Luana, você praticamente escreveu o nosso passo a passo aqui de casa!
    Perfeito!
    Esse ano ela já escolheu o tema! Hahaha!!! Nada comercial! Depois de 2 anos sem festa, acho que vou arregaçar as mangas e pirar um pouco! O bom é que comecei a costurar... então, vai sair barata a piração! Toda homemade, com certeza! hahaha!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaty!!! Hahahahaha, o passo-a-passo do bom senso. Parabéns!
      Criar, costurar, bordar são terapia! Quem não gosta? Além de sair barato, é uma delícia!!!
      Depois me conte sobre o que está planejando. Qual o tema?
      Um beijo!

      Excluir
  2. Sabrina Petermann16 de abril de 2015 12:47

    Quero publicar ainha festa!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sabrina! Que bom que você sentiu essa vontade! :)
      Eu tenho uma sequência boa de festas de leitora para publicar, e posso analisar sim a inclusão da sua!

      Por favor, escreva para mim no limobag@gmail.com

      Um beijo e obrigada por comentar!

      Excluir
  3. Encontreeeeei!! Encontrei um blog massa que fala o que penso e me faz sentir bem..sem achar que a esquisita aqui sou eu de não ter balões na festa do meu filho e nem pagar uma empresa para decorá-la...e nem escolher temas de personagens! :) Adorei sua forma de escrever e suas opiniões!! Parabéns! Está assinada no meu feedly!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Drica, que comentário mais delicioso!

      Puxa, muito obrigada por despejar tanto carinho.

      #tamojunto

      Um beijo!

      Excluir
  4. Luana, você já tem livro publicado com esses seus textos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, ainda não publiquei! rsrsrsrsrs

      Um beijo!

      Excluir